16 de janeiro de 2012

Denominações específicas e Conceitos importantes


HABITAT - é o lugar específico onde uma espécie pode ser encontrada, isto é, o seu "ENDEREÇO" dentro do ecossistema.
Exemplo: Uma planta pode ser o habitat de um inseto, o leão pode ser encontrado nas savanas africanas, etc.
NICHO ECOLÓGICO - é o papel que o organismo desempenha no ecossistema, isto é, a "PROFISSÃO" do organismo no ecossistema. 0 nicho informa às custas de que se alimenta, a quem serve de alimento, como se reproduz, etc.
Exemplo: a fêmea do Anopheles (transmite malária) é um inseto hematófago ( se alimenta de sangue), o leão atua como predador devorando grandes herbívoros, como zebras e antílopes.
ECÓTONO - é a região de transição entre duas comunidades ou entre dois ecossistemas.
Na área de transição (ecótono) vamos encontrar grande número de espécies e, por conseguinte, grande número de nichos ecológicos.
No ecótono vivem espécies das comunidades limítrofes, além de espécies peculiares da região.

BIOSFERA

A biosfera é a parte da Terra na qual existem organismos vivos. Ela é uma fina película na superfície do planeta, irregular em espessura e em densidade. A atmosfera terrestre é um manto de gás e de pó, mantido perto da superfície pela gravidade. A atmosfera filtra os danosos raios ultravioleta do Sol e impede a perda de calor da superfície da Terra. A biosfera é afetada pela posição e pelos movimentos da Terra em relação ao Sol e pelos movimentos do ar e da água. Essas condições causam grandes diferenças de temperatura e pluviosidade de lugar para lugar e de estação para estação. Tais disparidades se refletem em diferenças nos tipos de vida animal e vegetal.
As grandes formações de seres vivos em terra são chamadas biomas. O bioma terrestre mais rico é a floresta úmida tropical, em que o crescimento não é limitado por falta d'água ou por temperaturas extremas. Na floresta tropical, as árvores são sempre verdes e de folhas largas, caracteristicamente cobertas por trepadeiras e epífitas. Não há quase acúmulo de material em decomposição, ou húmus. Os solos tropicais são freqüentemente argilas vermelhas (chamadas lateritas) que sofrem erosão ou se solidificam quando desmatados.

[LEIA MAIS. clicando na frase abaixo]

A floresta decídúa temperada é um bioma importante da Euràsia e do leste da América Setentrional, nas partes em que o inverno é bem frio e o verão bem quente. Na floresta decídua, as árvores perdem as folhas no outono, o que reduz a perda d'água durante os meses de inverno, tempo em que a água fica imobilizada como gelo.
Ao norte da floresta decidúa está a taiga, floresta subártica de coníferas, de larga ocorrência. As árvores dessa floresta, as coníferas, têm diversas adaptações especiais para a conservação de água e proteção contra frio extremo. Outras florestas sempre verdes, de folhas aciculares, encontram-se ao longo da costa do Pacifico, no sudeste dos Estados Unidos e também no sudeste da Ásia.
Entre a taiga e a região polar norte está a tundra, na qual há poucas árvores, e dominam as plantas perenes baixas.
As pradarias ficam entre as florestas decíduas e os desertos e têm pluviosidade intermediária entre as destas formações. O crescimento das árvores é impedido não somente pela falta de chuva, mas também pelos animais pastadores (que comem as plantas novas) e pelos incêndios recorrentes. As savanas são pradarias tropicais intermediárias entre as florestas úmidas tropicais e os desertos. As florestas decíduas tropicais ocorrem onde as chuvas são estritamente ligadas às estações.


O chaparral, um bioma caracterizado por arbustos, encontrado no sul da Califómia e no Mediterrâneo, tem verões secos, mas abundante chuva de inverno.
As regiões desérticas apresentam pluviosidade muito baixa e temperaturas altas durante o dia. A vegetação principal é constituída de plantas anuais, com estações de crescimento extremamente curtas; os cactos e outras plantas perenes do deserto são altamente adaptadas para conservar água.
Os biomas de água doce incluem lagos e lagoas (que são água parada) e rios e correntezas (que são água em movimento).
Os lagos dividem-se em três zonas ecológicas: a zona litorânea, ao longo da margem, caracterizada por vegetação com raízes; a zona límnica, de água aberta, que se estende até onde a luz penetra; e a zona profunda. A zona litorânea contém rica variedade de vida vegetal e animal, representada por caramujos, muitos insetos e outros invertebrados pequenos. Os organismos fotossintetizantes da zona límnica são principalmente fitoplâncton; os peixes maiores encontram-se sobretudo nessa zona. Não há plantas na zona profunda; os organismos principais são decompositores, inclusive bactérias e fungos. Os lagos das zona; temperaúas ficam, durante o verão e o inverno caracteristicamente estratificados em camadas de temperatura; diferentes e suas águas se misturam de novo na primavera e no outono, redistribuindo oxigênio e nutrientes. A lagoa é um corpo de água relativamente rasa, tal que pela maior parte de seu fundo podem crescer planta; com raízes.
A vida nos rios e correntezas é determinada em grande parte pela rapidez da corrente. Em água de movimento rápido, o; organismos vivos são encontrados principalmente nas cascatas, presas às rochas e ajustados em reentrância;.
Os mares abertos têm duas divisões distinta, de vida: a pelágica (planctônica) e a bentônica (de fundo). A vegetação fotossintetizante do mar aberto é quase inteiramente plâncton - algas unicelulares flutuantes. O plâncton vegetal (fitoplâncton), misturado com plâncton animal (zooplâncton), fornece o alimento básico para peixes e animais de águas profundas e também para a vida esparsa, mas diversificada, de animais, fungos e bactérias do fundo, propriamente dito, dos oceanos. O padrões, de circulação aérea, juntamente com a rotação da Terra, produzem as grandes correntes oceânicas. Essas correntes modificam a temperatura das águas litorâneas e dos continentes.
A zona mais rica de vida oceânica ê o recife de coral, constituído de corpos e de esqueletos de celenterados, aos quais se unem algas simbióticas.
Os litorais incluem as costas rochosas, as praias arenosas, as praias lamacentas e os estuários, cada qual com sua variedade característica de vida. Os alagados dos estuários são um local de criação para muitas formas imaturas de vida marinha.
Postar um comentário